sábado, 15 de outubro de 2011

piadas de papagaio

O homem fica encantado com o papagaio e resolve comprar um para a família. Ao chegar na loja de animais, o dono lhe diz:
— Olha você está com sorte, pois é o último papagaio. Porém tem um pequeno problema, ele era o papagaio de uma zona, e o seu linguajar talvez não seja apropriado.
O homem diz que não tem problema, porque ele quer muito ter um papagaio. E leva o papagaio pra casa, dentro de uma caixinha, deixando na mesa para surpreender a família.
Chegando lá o homem explica pra sua esposa e filhas que o papagaio era de zona e talvez tenha a boca um pouco suja, porém a família fica logo encantada com a ideia de ter um bichinho, e tiram o papagaio da caixa. O loro olha ao redor:
— Casa nova...
Olha para a mulher:
— Dona nova...
Olha para as filhas do homem:
— Camélias novas...
E olha para o homem:
— Mas o cliente é velho! Oi, Zé!


Um certo jogador de futebol entra no bar com um papagaio sobre o ombro e o garçom pergunta:
— O animal fala?
— Sim, e eu também — diz o papagaio.


Um papagaio está dando umas voltas e se surpreende com um velho amigo, também papagaio, agora todo enviadado:
— Que é isso, cara? — Grita ele, bravo.
— O que foi, louro? Nunca viu não, é?
— É você mesmo, Zé?
— Zé não! Agora meu nome é Josefa! Muito prazer!
— Sai pra lá, Zé! Tá louco!? Usando batom no bico, com uma mecha das penas tingida de loiro...
— Fiz luzes! Você gostou?
— Cê tá horrível, cara! Fica aí rebolando, falando com essa voz fina, desmunhecando a asa! Posso saber o que aconteceu com você?
— É muito simples, cansei desse negócio de ficar dando só o pé!


O sujeito entra em um bar com um papagaio no ombro e muitas mulheres gostosas à sua volta.
— Garçom, me vê um Martini pra ruiva, uma tequila pra morena, uma cerveja pra loira e 10 cheesburgueres pro papagaio.
O garçom acha aquilo muito estranho, mas atende o pedido e assiste o papagaio comendo freneticamente.
No dia seguinte o mesmo sujeito aparece no bar com outras mulheres, o mesmo papagaio no ombro e repete o pedido. Novamente o garçom atende e assite a cena, abismado. No terceiro dia, o garçom não resiste e pergunta:
— Desculpe, amigo... Mas você pode me satisfazer uma curiosidade?
— Já sei... — adivinha o sujeito — Você quer saber por que o meu papagaio come tanto?
O garçom acena com a cabeça.
— Bom, um dia desses eu estava andando na rua e encontrei uma lâmpada mágica. Esfreguei e saiu um gênio que me disse pra fazer três pedidos. Primeiro eu pedi pra ser muito rico e hoje eu sou uma das pessoas mais ricas do país. Depois eu pedi pra viver cercado de mulheres maravilhosas e o gênio me mandou essas gatas que você está vendo. E, por último, eu pedi pra ter um passarinho insaciável. Aí o sacana me deu esse louro filho da puta!


Um homem comprou um papagaio e logo nos primeiros dias percebeu que o bicho só falava palavrão o tempo todo.
Pacientemente, tentou ensinar boas maneiras ao louro, mas nada resolvia.
Até que um dia, levantou de mal humor e quando passou diante da gaiola do papagaio, este resmungou:
— Bom dia, seu filho da puta!
Furioso, ele atirou o pobre animal dentro do freezer.
Para sua surpresa, alguns minutos depois ao abri-lo, ouviu o papagaio se desculpar:
— Perdoe-me pelo meu linguajar inadequado, meu caro senhor! Prometo que de hoje em diante, me emendarei e nunca mais tornarei a dizer um palavrão sequer.
Feliz da vida, o homem pegou o papagaio e já ia colocá-lo em sua gaiola, quando ouviu:
— Só por curiosidade, o que foi que o frango fez?


Três irmãos saíram de casa com o objetivo de alcançar sucesso profissional fora do Brasil. Alguns anos mais tarde, já formados e com muito dinheiro, resolveram se reunir para discutir o que cada um daria de presente no Dia de Natal. O primeiro, formado em Agronomia, disse:
— Comprei uma casa enorme, com quatro suítes, piscina, sauna e etc...
O segundo, formado em Engenharia, não deixou por menos e disparou:
— Eu mandei para ela uma Ferrari 0 KM.
O terceiro, formado em Medicina, deu um sorriso e disse:
— Mandei para mamãe um raro papagaio marrom que consegue recitar mais de dezenove mil poesias, a Bíblia do inicio ao fim e consegue cantar mais de mil músicas que fizeram sucesso na década de 60/70/80. Foram 20 anos de treinamento com os maiores especialistas em cada assunto. Tive que doar mais de trezentos mil doláres para cada instituição responsável pelo desenvolvimento dessa ave, mas estou satisfeito... valeu a pena.
Após o Natal, os três filhos receberam uma carta de agradecimento pelos presentes:
"Fernando, agradeço de coração a mansão que você me deu de presente. Ela é muito grande e bonita porém, apenas utilizo um dos quartos e tenho que limpar a casa toda. Por esse motivo vou colocá-la à venda, e comprar uma casa bem pequena."
"Marcelo, eu estou um pouco velha para dirigir uma Ferrari, fico o dia inteiro dentro de casa, por esse motivo, vou vender o carro e com o dinheiro vou realizar um velho sonho: farei um Cruzeiro para a Europa.
"Querido Alonso, você foi o único filho que teve o bom senso para saber do que a sua mãe realmente gosta. Aquele franguinho estava delicioso. Muito obrigada!"


Toda vez que o padre viajava, o papagaio aproveitava para ligar para a sua família no Amazonas. E ficava horas e horas pendurado no telefone. Até que um dia, o padre teve de voltar antes do esperado e pegou o bicho no flagra.
— Agora eu entendi porque quando viajo a conta telefônica vem tão cara!
— Currupaco! Currupaco! — fez o papagaio. — Não briga comigo não! Juro que não faço mais isso!
— Eu tenho certeza de que não vai mais fazer — ponderou o padre, — depois do castigo que eu vou lhe dar.
E pegando dois pregos enormes, pregou o bichinho na parede com as asas abertas.
— Pronto! Vai ficar aí durante uma semana pra aprender a se comportar.
O papagaio ralhou por algumas horas, mas depois se conformou. Afinal, uma semana não era tanto tempo. Nisso, percebeu que ao seu lado havia um crucifixo.
— Ei, cara! — disse, voltando-se para o crucifixo. — Há quanto tempo você está pregado aí?
Ao que Jesus respondeu:
— Há dois mil anos!
— Puta que o pariu! — surpreendeu-se o papagaio. — Você ligou pra onde?


O galo olha para a galinha e diz:
— Giselda! Estou muito desconfiada daquela sua amizade com o papagaio!
— Relaxa, meu amor! — eu e o Lôro somos só bons amigos!
— Ah é? — disse ele, aumentando o tom de voz — Pois se aparecer mais um ovo verde aqui você vira frango!


O dono de uma pequena granja estava cansado da história do papagaio ir todas as noites ao galinheiro e traçar as galinhas e resolveu lhe pregar uma peça: colocou um fio elétrico desencapado sob a porta.
Naquela noite, quando o papagaio ia entrando no galinheiro, pisou no fio e soltou um grito:
— Uaauuuuaaaa! Se isso tudo for tesão, hoje eu vou comer até o galo!

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

piadas de loucos

Todo ano acontecia uma competição no hospício para ver qual louco conseguia bater palmas.
O primeiro louco chegou, deu um nó entre os braços e não conseguiu.
O segundo chegou, suando frio, com muito esforço bateu na própria cabeça.
O terceiro chegou, enquanto isso todos olhavam ansiosos, pois, era o campeão do ano anterior que estava no palco. Com muita facilidade ele bateu palmas... então todos os louco o aplaudiram.


Um homem procura um psiquiatra, chegando lá ele explica ao doutor o seu problema:
— Eu escuto vozes que não sei de onde vem...
— E quando isso acontece? — pergunta o doutor.
— Quando eu atendo o telefone.


Um louco pensava ser um milho. Toda vez que perguntavam a ele o que ele era, ele dizia:
— Sou um milho!
Foi para o Sanatório para se recuperar e depois de 6 meses, estava praticamente recuperado. O agora ex-louco foi conduzido a sala do diretor do sanatório, onde o diretor perguntou:
— O que você é?
— Sou um homem, diretor!
— Tem certeza?
— Perfeitamente!
— Parabéns! Você está curado, pode ir para casa!
E o louco sai do sanatório todo satisfeito. Minutos depois ele retorna desesperado e ofegante, fechando a porta rapidamente, tentando mante-la fechada. O diretor vendo aquela cena pergunta:
— O que houve, rapaz?
— Tem uma galinha lá fora!
— Mas você não é um milho!
— Eu sei doutor, mas será que a galinha sabe?

Dois loucos estão num quarto escuro do hospício, brincando com uma lanterna. Um deles aponta a luz para o teto e diz:
— Aposto que você não consegue subir até o teto, se agarrando na luz!
— Você acha que eu sou trouxa, é? Se eu fizer isso, quando eu estiver na metade, você desliga a lanterna e eu me esborracho no chão!


Um caminhão que vem transportando os loucos de um hospício para o outro vira na pista. O médico que vinha na cabine com o motorista sobrevive, vê vários loucos feridos e se desespera, chama pelo motorista, mas o motorista estava morto. Então vê um louco saindo dos destroços e chama-o para ajuda-lo a separar os mortos dos vivos. O médico explica para ele:
— Quando eu disser que está morto você joga no buraco, se eu disser que está vivo você deita ele no chão.
Então o médico começa a examinar os loucos... Após analisar o primeiro ele diz:
— Morto!
O louco joga no buraco. O médico analisa o próximo e diz:
— Vivo!
E o louco deita o outro no chão, até que o médico diz novamente:
— Morto!
O louco pega o corpo nos braços e o leva para jogar no buraco, quando escuta um gemido do louco que está em seus braços:
— Me ajude, me ajude, eu ainda estou vivo...
E o louco responde:
— Deixa de conversa! Quer saber mais que o doutor?


Um homem estava passando na frente de um hospício, quando de repente olha para o muro e vê a metade da cabeça de um louco olhando para ele. O louco então fala:
— Eu vou te pegar!
O homem nem liga e continua andando. O louco fala de novo:
— Eu vou te pegar! Cuidado!
O homem fica meio apreensivo e apressa o passo, até que ele fala de novo:
— Eu vou te pegar! — e então pula o muro do hospício.
O homem corre e o louco segue atrás. Começa uma verdadeira perseguição, o homem fugindo do louco e o atrás dele cada vez mais perto. Até que chega uma hora em que o homem se vê encurralado num beco sem saída, e o louco vai chegando cada vez mais perto. Então o homem fica desesperado e começa a gritar:
— Por favor não me mate! Por favor!
O louco chega perto do homem, toca nele e diz:
— Te peguei, agora tá com você! — e sai correndo...


No hospício, resolve-se fazer uma limpa nos loucos. Então os médicos resolvem encher a piscina de areia e avisam-nos que poderiam nadar. Isso para mandar pra casa os que já estão bons. Ao abrir o portão, todos os loucos pulam na piscina. Só um fica de fora. Então os médicos surpresos resolvem perguntar o por que dele não ter pulado.
— Por que você não esta se divertindo com os outros?
Então o louco responde, sentado ao lado da piscina:
— Eu sou o salva-vidas.


Um louco planeja detalhadamente sua fuga do hospício.
— Vou passar por cima do portão através de uma escada que encontrei no pátio. Vai ser moleza!
No dia seguinte, o louco ainda está lá e o companheiro pergunta:
— Ué, você não ia fugir?
— Não deu! O portão estava aberto...


O sujeito era conhecido como o louco mais engraçado do hospício. Todos que estavam perto dele nunca paravam de rir. Certo dia, no pátio, os amigos dele o viram deitando no chão, rolando e quase se mijando de tanto gargalhar.
— Ei, amigo! — assiscou um dos colegas — Posso saber por que você está rindo tanto?
— É que eu acabei de me contar uma piada que eu ainda não conhecia!


Dois loucos tomavam sol na beira da piscina do manicômio até que um deles se jogou na água e afundou. Mais do que depressa o seu amigo, num ato heróico, pulou para salvá-lo.
No dia seguinte o diretor do manicômio foi falar com o "louco salva-vidas":
— Meu rapaz, eu tenho duas notícias para lhe dar! Uma boa e outra ruim: A boa é que você finalmente vai ter alta! Você salvou uma vida e então nós concluímos que você está curado!
O louco deu um sorriso de agradecimento.
— A notícia ruim é que o rapaz que você salvou ontem se enforcou!
— Não Doutor, ele não se enforcou...
— Como não? Nós o encontramos enforcado com o seu próprio cinto, hoje de manhã!
— Ah, mas fui eu que pendurei ele pra secar!


Um bêbado chega em casa e vê a mesa toda desarrumada com alguns restos de comida do dia anterior.
Morrendo de fome ele resolve fazer uma boquinha, ou melhor, devorar tudo que vê pela frente. Como o seu estado não era dos melhores ele acaba comendo um pequeno rato que estava em cima na mesa. Percebendo a burrada que fez, ele sai a procura de um hospital.
Depois de rodar alguns quilômetros em zigue-zague ele vê um muro branco, estaciona e entra correndo, sem saber que aquilo na verdade era um hospício.
— Me ajuda, Doutor! — ele grita para o primeiro homem vestido de branco que vê — Eu engoli um rato, Doutor! (hic) O que eu faço?
Então o louco de plantão resolveu examinar o bêbado e lhe prescreveu uma receita.
O bêbado saiu de lá e foi direto pra farmácia.
— Seu farmacêutico! — gritou ele, entrando no estabelecimento — Eu engoli um rato (hic) e o médico me deu essa receita! Traz esse remédio pra mim! (hic) Urgente!
O farmacêutico olhou pra receita e começou a rir.
— O que foi? — perguntou o bêbado — Tá rindo do quê, cara?
— Olha só o que tá escrito na receita! — disse ele, sem parar de rir — "Tomar um gato de duas em duas horas e colocar uma ratoeira na bunda!"


Durante a visita a um hospital psiquiátrico, um dos visitantes perguntou ao diretor:
— Qual é o critério pelo qual vocês decidem quem precisa ser hospitalizado aqui?
O diretor respondeu:
— Nós enchemos uma banheira com água e oferecemos ao doente uma colher, um copo e um balde e pedimos que a esvazie. De acordo com a forma que ele decida realizar a missão, nós decidimos se o hospitalizamos ou não.
— Entendi — disse o visitante — uma pessoa normal usaria o balde, que é maior que o copo e a colher.
— Não — respondeu o diretor — uma pessoa normal tiraria a tampa do ralo. O que o senhor prefere? Quarto particular ou enfermaria?


Três loucos vão fazer o exame mensal para ver se já podem receber alta.
O médico pergunta ao primeiro deles:
— Quanto é dois mais dois?
— 72 — responde ele.
O doutor balança a cabeça como quem diz "Esse não tem mais jeito" e virando-se para o segundo, repete a pergunta:
— Quanto é dois mais dois?
— Terça-feira — responde o segundo.
Desanimado, o médico vira-se para o terceiro louco:
— Quanto é dois mais dois?
— É quatro, doutor! — responde ele, com firmeza.
— Parabéns, você acertou! Como você chegou a essa conclusão?
— Foi fácil! Me baseei nas respostas dos meus amigos: 72 menos terça-feira dá 4!

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

piadas de gauchos

 Rosto e Mãos
O gaúcho e o mineiro já conversavam por um longo tempo, quando o mineiro diz:
— Uai sô, que fome, queria comer um trem!
E o gaúcho por instinto respondeu:
— Piuííííííí.
kkkkkkkkkkkkk


Um paulista, cansado da cidade grande, pegou o FGTS e comprou uns alqueires no interior do Rio Grande do Sul, longe de tudo. Algum tempo depois, apareceu na sua porteira um gaúcho de dois metros de altura, de barba, chimarrão na mão.
— Bá, tchê, venho te convidar para uma festa no meu sítio, algumas léguas abaixo na estrada.
— Opa! Vamos lá... - respondeu o paulista.
— Mas tu te prepares, tchê... Vai ter bebedeira da grossa.
— Ah, não tem problema, em São Paulo eu ia na balada e enchia a cara.
— Mas eu também vou te avisando, tchê... Vai ter pau!
— Ah, não tem problema, em São Paulo eu praticava box na academia.
— E também vou te avisando, tchê... Vai ter muito sexo.
— Oba, legal! Em São Paulo eu comia todas, mas faz quatro meses que estou aqui, no meio do nada, sem mulher. E quantas pessoas vão na sua festa?
— Bá, só tu e eu, tchê...


O gaúcho não aguentava mais: estava com a consciência muito pesada! Pegou o telefone, discou pra aquele velho número e falou quase sussurrando:
— Alô. É você, meu bem?
— Sim, sou eu.
— Olha, eu estive pensando sobre o nosso caso e acho que tomei uma decisão. Eu sei que é terrível, mas devemos terminar tudo. Tudo!
— Não fala isso...
— Sinto muito, mas não podemos continuar com essa loucura. Temos que jogar limpo. Eu vou desligar esse telefone e contar tudo pra minha mulher agora mesmo!
— Mas e eu? O que é que eu vou fazer?
— O mesmo que eu: conte tudo pra sua!


O gaúcho entra no bar gritando:
— Tem macho nessa merda? Tem macho nessa merda?
— Como é? Não tem macho nessa merda? — Insiste ele.
Ninguém responde. Ele pega uma faca, finca no chão e senta em cima:
— Ahhhh, faquinha... se não fosse você!


Num bar de Belo Horizonte, estavam quatro amigos, um carioca, um paulista, um mineiro e um gaúcho, este último já estava de saco cheio por causa das piadinhas de gaúcho que os outros três estavam contando, quando chegou a vez dele de contar a piada, ele mandou:
— Na verdade isto não é uma piada, é um fato real, quando eu morava em Porto Alegre, cheguei mais cedo em casa e peguei minha mulher na cama com outro, matei o amante, peguei a mulher e o filho, botei os dois no carro e caí na estrada, larguei a mulher em São Paulo porque lá é terra de puta, larguei o menino do Rio de Janeiro porque lá é terra de filho da puta e vim pra Minas porque é terra de corno!


A aeromoça oferece bebida a um gaúcho de Pelotas que está sentado ao lado de uma freira dentro de um avião. O gaúcho pede uísque escocês com gelo.
— A senhora aceita o mesmo que ele, irmã ? Pergunta a aeromoça à religiosa.
A freira fica indignada:
— Prefiro ser agarrada selvagemente e estuprada por um negão, daqueles de dois metros de altura, do que botar uma gota desse álcool na boca!
O gaúcho escuta e devolve o uísque à aeromoça dizendo:
— Desculpe! Eu não sabia que tinha essa outra opção. Também quero o negão.

 Arte em Cheques
Um gaúcho se dirigiu à atendente da casa lotérica:
— Olha, não tenho a menor idéia sobre quais números escolher para comprar um bilhete da Loteria Federal. Você poderia me ajudar?
— Claro, respondeu ela, vamos lá. Durante quantos anos você freqüentou a escola?
— 8
— Perfeito, temos um 8.
— Quantos filhos você tem?
— 3
— Ótimo, já temos um 8 e um 3. Quantos livros você já leu até hoje?
— 9
— Certo, temos um 8, um 3 e um 9. Quantas vezes por mês você faz amor com sua mulher?
— Caramba, isso é uma coisa muito pessoal — diz ele.
— Mas você não quer ganhar na loteria?
— Está bem, 2 vezes.
— Só? Bom, deixa pra lá. Agora que já temos confiança um com o outro, me diga quantas vezes você já deu a bunda?
— Qual é a sua? — diz o homem — Sou espada!
— Não fique chateado. Vamos considerar então zero vezes. Com isso já temos todos os números: 83920.
O sujeito comprou o bilhete que correspondia ao número escolhido. No dia seguinte foi conferir o resultado. O bilhete premiado foi o de nº 83921. Cheio de raiva, comentou:
— Puta que pariu! Por causa de uma mentirinha besta eu não fiquei milionário!


O gaúcho chega em uma churrascaria em São Paulo, senta e, indignado, chama o garçom que vem com o cardápio na mesa:
— Mas tchê! Na minha terra não tem essa história de cardápio tchê. A gente escolhe a carne cheirando a faca!
O garçom deu um sorriso irônico, mas como não queria perder o cliente, o atendeu a caráter.
O garçom dirigiu-se ao assador da carne, pegou sua faca que tinha acabado de cortar um cupim e levou-a ao gaúcho. O gaúcho pegou a faca, colocou-a em frente de seu nariz e exclamou:
— Mas tchê! Esse cupim está maravilhoso, me traz um pedaço!
O garçom, assustado, serviu o gaúcho e, logo após, buscou a faca utilizada para cortar a costela e deu para o gaúcho. O mesmo exclamou:
— Mas tchê! Essa costela está no ponto pode trazer!
O garçom, louco da vida com o gaúcho, buscou uma faca e pediu pro churrasqueiro Waldemar:
— Waldemar passa a mão no pinto e depois esfrega nessa faca!
Dito e feito, o garçom pegou a faca e entregou para o gaúcho, ele a colocou em frente do nariz, suspirou fundo e disse:
— Mas tchê! Como esse mundo é pequeno! Não acredito tchê, o Waldemar na cozinha?

O gaúcho, muito macho, foi fazer o seu exame de próstata. A sala de espera estava lotada de homens que, como ele, estavam condenados à maior humilhação da vida de um macho. Depois de entrar na sala e ficar de quatro em cima da mesa o médico colocou a luva e — pimba! — tacou o dedo pra dentro.
— Ai, tchê! — gemeu o gaúcho.
— Está doendo? — perguntou o médico.
— Eu não tô agüentando, Doutor... Eu vou gritar!
— Olha, eu acho melhor você se segurar! A recepção está lotada de pacientes e vai ficar uma situação embaraçosa...
— Bah! Mas eu não estou agüentando, Doutor! Vou gritar! Vou gritar!
— Calma, rapaz... Já está acabando...
— Mas eu não agüento, Doutor... Eu vou gritar! Eu vou gritar...
O doutor, já ficando de saco cheio de toda essa ladainha, consentiu:
— Então grita!
E o gaúcho:
— Bah! Mas que coisa deliciosa, tchê!

 Bananas de Conchinha
Estava o gaúcho muito incomodado indo fazer o seu check up anual quando se deparou com uma novidade: exame de próstata.
Muito a contragosto, foi até o consultório de seu urologista, e este, logo lhe disse:
— Tire as calças e fique de 4!
O gaúcho, muito macho, relutou, mas após alguma insistência ficou na posição solicitada.
O médico, ao enfiar o dedo pela primeira vez perguntou:
— O que sente meu senhor?
E o gaúcho:
— Sinto uma ardência, um mal estar...
E o médico, muito atencioso, introduziu novamente o seu indicador e perguntou:
— O que sente agora, meu senhor.
E o gaúcho:
— O mesmo mal estar, uma dorzinha.
Para completar o exame, o médico fez o último toque, o mais profundo, e doloroso e indagou novamente:
— O que sente agora, meu senhor.
E o gaúcho:
— Sinto que te amo, tchê...

Lindo Sorriso
Um gaúcho apeou de seu cavalo, entrou num bar "barra pesada" e já avisou:
— Muito bem, eu quero que todo mundo preste bem atenção: eu vou tomar um trago e se a hora em que eu for embora o meu cavalo não estiver lá fora, vai acontecer a mesma coisa que aconteceu em Vacaria! Silêncio total. Todos tensos. Cheiro de morte no ar. O gaúcho toma seu rabo-de-galo e sai bem calmamente até a porta e vê que seu cavalo continua do mesmo jeito.
— Ainda bem que meu alazão ainda está aqui! Senão iria acontecer a mesma coisa que aconteceu em Vacaria!
O gaúcho então montou no cavalo e ia partindo quando um garotinho lhe pergunta:
— Moço, e o que foi que aconteceu em Vacaria?
— Eu fui embora a pé, oras...

barbye atualmente kkkkkkkkkk
 Barbie Atualmente

terça-feira, 11 de outubro de 2011

piadas de criancas


 
Uma mãe pede ao filho que ligue para o celular do pai:
— Filho, diga que o jantar sairá em uma hora.
— Pode deixar, mamãe.
— E aí? O que ele disse? Já vem?
— Já liguei três vezes, mãe.
— E ele não atendeu?
— Atendeu. Mas sempre quem fala é uma mulher.
— O quê? Deixa comigo. Ele vai ver quando chegar em casa.
Quando o pai aparece em casa, a mulher começa a gritar:
— Vem cá, filho! Conta o que a mulher disse para você no telefone!
— Ela disse: "O número para o qual você ligou encontra-se desligado ou fora de área de cobertura."
escola começam a exaltar as qualidades de seus pais durante o recreio. Em um momento da conversa, um deles diz:
Três colegas de e
— O meu pai é quem corre mais rápido. Ele é capaz de atirar uma flecha, começar a correr e ultrapassar a flecha.
— Você acha isso rápido? O meu pai é caçador. Ele consegue dar um tiro e chegar ao alvo antes da bala.
— Vocês dois não sabem o que é rapidez.
— Ah, é? O que seu pai faz?
— O meu pai é funcionário público. Ele trabalha até às 18h, mas consegue estar em casa às 16h45.
Um menino chega à sua casa e confessa a mãe:
— Acabei de quebrar o abajur do apartamento do meu amigo.
— Como você fez isso?
— A gente estava jogando futebol dentro da sala e, sem querer, eu chutei a bola com muita força em cima do abajur.
A mãe olha com cara de desapontada e diz:
— Vou ligar para a mãe do seu amigo e perguntar como era o abajur.
— Você quer comprar um igual?
— Claro!
— Não, mãe, não se preocupe com isso.
— Por quê?
— Ela disse que aquele abajur era iinsubstituível.

O menino estava brincando na areia até que encontrou uma concha. Sua explicou para ele:
— Dá para escutar o mar dentro dela.
O menino ficou interessado e foi procurar por outras conchas.
Minutos depois o garoto acha outra concha, mas ao colocá-la próxima da orelha um caranguejo que estava dentro lhe ataca. Antes que o menino o visse ele volta a se esconder dentro da concha.
O menino então conta para a mãe.
— Acabei de escutar o mar de novo, mas nesse tinha tubarão.
Juquinha tem uma conversa muito séria com o pai.
— Pai, eu queria tanto ter um irmão pra brincar com ele.
O pai tentar desconversar e fala:
— Mas você tem um irmão, Juquinha. É que você nunca vê ele. Toda vez que você vai chegando em casa, ele sai um pouquinho antes de você entrar. Entendeu?
Juquinha pensa um pouco e fala:
— Sei. Entendi. É como o meu outro pai.

É o primeiro de ia de aula e a professora quer saber o que os pais dos alunos fazem.
— Agora, eu quero saber qual a profissão do pai de cada um de vocês. Alberto, o que é que o seu pai faz?
— Ele é comerciante, professora.
— Ah, muito bem. E você, Bartolomeu? O que o seu pai faz?
— Ele é gerente do banco, professora.
E assim ela vai percorrendo a lista de chamada até que chega a vez de Juquinha.
— Juquinha, o que é que seu pai faz?
— Professora, sniff! sniff! meu pai morreu na semana passada.
— Ah, eu não sabia, Juquinha. Os meus pêsames. Mas o que ele fazia antes de morrer?
— Toss, toss, arrghhh! Arrghh! Plufft!

Na maternidade, dois bebês deitados lado a lado conversam. O menino pergunta:
— Você é um menino ou uma menina?
— Sei não. Acabei de nascer.
— Vamos ver o que você é. Baixe um pouco o lençol.
— Não! Que isso?
— Só um pouquinho.
— Não!
— Só um pouquinho. Ninguém tá vendo.
— Não. Nem pensar.
— Deixa eu ver, deixa.
— Tá bem. Tá bem. Mas só um pouquinho.
— Assim não dá pra saber. Baixa mais, baixa.
— Você tem certeza de que não vem ninguém?
— Tenho, sim.
— E aquela enfermeira ali?
— Tá dormindo. Baixa mais, baixa. Só um pouquinho, baixa.
— Assim?
— Ah, é uma menina. Os sapatinhos são cor de rosa...
O professor de ciências era muito bravo. Um dia ele levou para a aula uma pata de um pássaro. Apontou para um aluno e perguntou:
— Olhando esta pata de pássaro responda-me: qual é a família, gênero e espécie do animal?
— Como é que eu vou saber isso tudo com uma pata?
— Seu ignorante — gritou o professor. — Você está suspenso!
E pegando uma caneta e um papel, perguntou ao menino:
— Qual é o seu nome completo?
O menino estendeu a mão para o professor e disse:
— Adivinha!

piadas de bichas

Cidadezinha do interior. Duas bichas estão brigando na rua, fazendo o maior escândalo. A polícia leva as duas pra delegacia. E o delegado interroga:
— Então vocês dois são veados?
— Nóis semo, seu delegado!
E o delegado falando grosso:
— Nós somos!
E a bichinha:
— Desculpa, seu delegado... É que nóis não sabia que o senhor era também.


Um policial pegou a bichinha mijando na rua e deu uma surra nela com o cassetete.Depois ele disse:
—É melhor você sumir daqui e não fazer mais isso, se não vou enfiar esse cassetete na sua bunda.
A bicha diz:
— Aaahh.. bate e depois vem agradando né?


Tinha uma bicha campineira, que cansou de dar o rabo e foi até um médico amigo dela para pedir uma ajuda.
— Doutor, não quero mais ser bicha, como faço para parar de dar a bundinha?.
— Faça o seguinte, mude para o Rio de Janeiro, na praia de Copacabana e todas as manhãs você vai até o calçadão e fique olhando aquelas cariocas praticando cooper, mas só fique olhando para as mulheres, fique notando aquele bumbum arrebitado, aquele corpinho violão, e esquece homem, e se caso você tiver uma recaída ou algo parecido, eu tenho um amigo médico que mora lá e eu lhe dou o endereço — anotando o endereço num pedaço de papel.
Dito isto, lá foi a bicha morar no Rio de Janeiro, levantava todo dia cedo, ia até o calçadão e ficava vendo aquelas gostosas praticando cooper e assim foi esquecendo dos homens. Um certo dia ao acordar, notou que estava com uma dor terrível no saco, mais como o seu médico tinha recomendado um amigo dele, foi até o consultório e explicou que estava com uma puta dor no saco.
O médico como um primeiro diagnóstico:
— Você deve ter alguma coisa na próstata, vamos fazer um exame.
— Abaixe a calça — disse o médico, colocando aquela luvas de borracha na mão.
Ele abaixou as calças, sentiu um friozinho no cu e arrebitou a bundinha. O médico vai com o "pai de todos" e vai introduzindo devagarinho. Aí a bichinha
— Aaaaiiiii!
O médico vira o dedo lá dentro e a bicha:
— Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiii!
— Está doendo? — diz o médico.
— Nãããooooo... — diz a bicha.
Aí o médico tira o dedo, põe de novo, um pouco mais fundo e a bicha:
— Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiii que puta saudade de Campinas!


Ao avistar um bebê caindo de um prédio, a bichinha que andava calmamente pela rua desperta do seu torpor e corre para socorrer a criança.
Ainda ofegante, com o nenê entre os braços ela vê bem à sua frente um rapaz alto, forte e musculoso.
— Puxa, estou emocionado — diz o rapaz. — Parabéns! Que reflexo!
Ela joga o bebê no chão e diz, passando as mãos nos cabelos:
Gostou? É Wellaton!


O atlético domador apresentava seu mais novo número com os leões. O domador punha os órgãos sexuais dele na boca do leão enquanto lhe aplicava fortes chicotadas. Grande sucesso. Todo mundo aplaudiu. Terminado o número, ele desafiou a plateia:
— Alguém aí tem coragem de fazer a mesma coisa?
Um breve silêncio e ouviu-se uma voz:
— Eu vou, eu vou. Mas não bata com muita força não, viu seu domador.


Um jovem alistou-se no exército e optou pela tropa de pára-quedistas. Fez o treinamento básico, fez os saltos de treinamento a partir de plataformas cada vez mais altas, e finalmente foi fazer seu salto de um avião. No dia seguinte, telefonou para o pai, para dar as notícias.
— E aí, você pulou? — pergunta o pai.
— Bom, deixa eu explicar o que aconteceu. Subimos no avião, e o sargento abriu a porta e pediu voluntários. Aí uns doze colegas se levantaram e pularam da porta aberta do avião!
— Foi aí que você pulou? — pergunta o pai.
— Bem, ainda não. Aí o sargento começou a agarrar os demais colegas, um por vez, e a jogá-los pela porta aberta.
— Então, aí você pulou? — pergunta o pai.
— Estou chegando lá. Todo mundo tinha pulado, e eu era o último soldado que restava no avião. Eu disse ao sargento que eu tinha muito medo para pular. Aí ele me disse que se eu não pulasse do avião ele me chutaria o rabo!
— Aí você pulou!
— Ainda não. Ele tentou me empurrar pela porta, mas eu segurei firme nela e não deixei ele me empurrar. Aí ele chamou o Sargento Instrutor. O Sargento Instrutor é um armário tamanho 4 x 4, e pesa 150 quilos. Ele me perguntou: "Rapaz, você vai pular, ou não?". E eu respondi que eu não pularia porque tinha muito medo.
Nisso o Sargento Instrutor abaixou o zíper da calça e... eu vi... o tamanho... Rapaz, juro que aí ele disse:
— Rapaz, ou você pula fora deste avião agora, ou eu vou usar este negocinho em você!
— Aí você pulou, não é? — perguntou o pai.
— Bem pai, no começo eu pulei um pouquinho...


Quatro amigos encontraram-se em uma festa, após 30 anos sem se verem... Alguns drinks aqui, bate papo de lá e de cá e um deles resolve ir ao banheiro. Os que ficaram resolveram falar sobre os filhos. O primeiro falou:
— Meu filho é meu orgulho. Ele começou a trabalhar como office-boy em uma empresa, estudou, se formou em administração de empresas, foi promovido a gerente da empresa e hoje ele é o presidente. Ele ficou tão rico, tão rico, que no aniversário de um amigão dele, ele deu um carro de presente.
O outro disse:
— Nossa que beleza! Mas o meu filho também é um grande orgulho para mim. Ele começou trabalhando como entregador de passagens. Estudou e formou-se piloto. Foi trabalhar em uma grande empresa aérea. Resolveu entrar de sociedade na empresa e hoje ele é o dono. Ele ficou tão rico, que no aniversário de um grande amigo dele, ele deu um avião de presente.
O terceiro falou:
— Nossa, parabéns! Mas o meu filho também ficou muito rico. Ele estudou e formou-se em engenharia. Abriu uma construtora e deu tão certo que para um amigo que fez aniversário, ele deu um apartamento.
O amigo que havia ido até o banheiro chegou e perguntou:
— Qual é o assunto?
— Estamos falando do grande orgulho que temos de nossos filhos. E o seu? O que faz?
— Meu filho não é propriamente um grande orgulho... Ele é vagabundo, anda com tudo quanto é viado, trabalha como michê, mas devo admitir que é um grande sortudo e muito esperto. Sabe, ele fez aniversário outro dia e ganhou das bichas que ele anda comendo, um apartamento, um avião e um carro!


Três amigos estavam em um ônibus aí eles conversando até que o ônibus bate em um poste, quando eles chegam no céu o céu tava lotado então São Pedro chega e fala pros três:
— Olha aqui está lotado, então vocês vão voltar pra Terra mas irão voltar como animais!
Os três se olham e respondem:
— Tudo bem para nós.
Então o primeiro se aproxima de São Pedro então São Pedro diz:
— Você vai ser uma águia, vai voar pelos céus e ser temido pelas outras aves.
Então ele diz:
— Ok!
Então quando pulou das nuvens já virou uma águia e saiu voando aí foi o segundo:
— Você vai ser uma pantera negra, vai ser veloz e sagaz e vai um dos felinos mais importantes.
Então ele responde:
— Tudo bem!
Quando pulou já virou uma pantera negra aí foi o terceiro, então São Pedro olha novamente o livro de opções de animais e diz:
— Tem um probleminha você vai até voltar mas vai voltar como um veado.
Então ele diz com voz feminina:
— Ah não, de novo não!


Uma bichinha comprou um fusquinha e ficou toda serelepe, mandou pintar o fusca de rosa e trocar a buzina. A buzina agora fazia "wuuuwuuuu". Logo ela foi chamar a Karlinha — outra bichinha — para passear de fusca, e a cada bofe que passava elas buzinavam.
Se divertiam até que um caminhoneiro, daqueles bem parrudos, veio em alta velocidade e bateu na traseira do fusquinha, provocando um grande estrago. As bichinhas saíram loucas:
— Ah não! Meus deuses! Meu fusquinha novinho... — e virando-se para o caminhoneiro — Escuta aqui, bruto, você vai ter que pagar o estrago.
— Que pagar nada! Fica na sua! — respondeu áspero o caminhoneiro.
— Ai, vai pagar sim senhorrrrrr. Você bateu por trás e está erradíssimo. Vai ter que pagar.
Karlinha ajudava:
— Isso mesmo. Eu sou testemunha. Vai pagar, seu grosso!
O caminhoneiro era irredutível:
— Não vou pagar e pronto! Saia da frente!
A bichinha motorista não se conteve e mandou que Karlinha chamasse a polícia. E enquanto a outra ia chamar a polícia, a motorista insistia:
— Quero ver se você não vai pagar. Você vai pagar sim senhor!
O caminhoneiro engrossou:
— Vou pagar o cacete!
A bichinha voltou-se para Karlinha, já longe, e gritou:
— Karlinhaaaaaa. Volta, volta que ele quer negociar...

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

piadas de advogado

 Dê Seu Título!!
A Loira e o Advogado 
 Uma loira e um advogado estão sentados lado a lado num vôo de São Paulo para Belém.

De repente, o advogado diz:

—Eu aprendi um jogo interessante aqui em São Paulo! Você não quer jogar comigo?

—Não, moço. . . Obrigado. . . Eu só quero dormir mesmo! — E vira pro lado pra tirar uma soneca.

—Por favor! — Insiste o advogado — É um jogo fácil e bastante divertido!

—Como é esse jogo? — Pergunta a loira, contrariada.

—É assim: Eu te faço uma pergunta e se você não souber a resposta me paga cinco reais! Aí depois é a sua vez!

A loira pensou, pensou e disse:

—Não estou interessada! — Virando novamente pra tirar uma soneca.

—Ok, então se você não souber a resposta me paga cinco reais e se eu não souber, te pago 500 reais!

—Tá bom, vai! — Finalmente concordou a loira — Faz logo a primeira pergunta!

—Qual a distancia exata entre a Terra e a Lua?

A loira não disse nenhuma palavra, abriu a bolsa, pegou cinco reais e entregou ao advogado. Então ela perguntou:

—O que é que sobe a montanha com três pernas e desce com quatro pernas?

O advogado pensou, pensou e pagou os quinhentos reais para a loira.

—Muito obrigada! Foi um prazer jogar com você! — Disse ela, virando-se para tirar a tão desejada soneca.

—Espera aí! — Diz o advogado. — Qual é a resposta da sua pergunta?

Então a loira abriu a bolsa, deu cinco reais ao advogado e voltou a dormir.
  
Dois Garotos


 
 
Dois garotinhos que não se conheciam começam a conversar:

-Meu nome é André. Como você se chama? - Pergunta um deles.

-Roberto. - Responde o outro.

-Meu pai é contador. - Diz André - O que é que seu pai faz?

-Meu pai é advogado. - Responde Roberto.

-Sério?

-Não. Do tipo comum, mesmo!

 Tijolo
 O doido foi ao tribunal ver o jugamento do irmão ao ver o advogado do irmão falou

- advogado aqui o

e bateu a mão no bolso

o advogado ao ver o bolso cheio pensou

- deve ser dinheiro vou ganhar essa causa e vou ficar com o dinheiro

ai advogado foi la e ganhou a causa

depois ele foi cobra do doido e falou

- ei cade o dinheiro q vc falou ali na hora do jugamento

ai o doido falou

- q dinheiro aquilo erra um tijolo pra se voce perdesse eu te joga na cabeça

 Um advogado andava em alta velocidade pela cidade com seu Bmw, quando foi parado pelo guarda de trânsito.

Multa Por Alta Velocidade


O Guarda: - O senhor estava além da velocidade permitida, por favor a sua habilitação.

Advogado: - Está vencida.

Guarda: - O documento do carro.

Advogado: - O carro não é meu.

Guarda: - O senhor, por favor, abra o porta-luvas.

Advogado: - Não posso, tem um revólver aí que usei para roubar este carro.

Guarda (já bastante preocupado): - Abra o porta-malas!

Advogado: - Nem pensar! Na mala está o corpo da dona deste carro, que eu matei no assalto.

O guarda , vendo-se diante das circunstâncias , resolve chamar o Sargento.

Chegando ao local o Sargento dirige-se ao advogado:

Sargento: - Habilitação e documento do carro por favor!

Advogado: - Está aqui senhor, como vê o carro está no meu nome e a habilitação está regular. Sargento: - Abra o porta-luvas!

Advogado (tranqüilamente. . . ) : - Como vê só tem alguns papéis.

Sargento: - Abra o porta-malas!

Advogado: - Certo, aqui está. . . Como vê, está vazio.

Sargento (constrangido): - Deve estar acontecendo algum equívoco, o meu subordinado me disse que o senhor não tinha habilitação, que não era o dono do carro pois o tinha roubado, com um revólver que estava no porta luvas, de uma mulher cujo corpo estava no porta malas.

Advogado: - Só falta agora esse sacana dizer que eu estava em alta velocidade!
  
O Coelhinho e a Cobra 
 O coelhinho tropeça numa cobra e logo justifica:

- Desculpe! É que eu não te vi. . . Sou cego!

- Não tem problema! - Ameniza a cobra. - Eu também não te vi. . . Também sou cega. Que tipo de animal é você?

- Não sei! Quer me apalpar para ver se você descobre?

- Quero! Hummm. . . Você é macio. . . Fofinho. . . Tem orelhas longas. . . Focinho pequeno. . . Já sei! Você deve ser um coelhinho!

- Que legal! E você, que bicho é?

- Também não sei! Por que você não tenta descobrir?

- Legal! Hummm. . . Você é grosso. . . Frio. . . Duro. . . Escorregadio. . . Acho que você é um advogado!

 Casamento do Advogado 
 O advogado casou com uma mulher que já havia sido casada oito vezes.

Na noite de núpcias, no quarto do hotel, a noiva disse:

- Por favor meu bem, seja gentil. Ainda sou virgem!

Perplexo, sabendo que ela havia sido casada oito vezes, o noivo pediu a ela que se explicasse.

E ela respondeu:

- Meu 1º marido era Psiquiatra. Ele só queria conversar sobre sexo.

- Meu 2º marido era Ginecologista. Ele só queria examinar o local.

- Meu 3º marido era Colecionador de Selos. Ele só queria lamber.

- Meu 4º marido era Gerente de Vendas. Ele dizia que sabia que tinha o produto, mas não sabia como utilizá-lo.

- Meu 5º marido era Engenheiro. Ele dizia que compreendia o procedimento básico, mas que precisava de três anos para pesquisar, implementar e criar um método de utilização.

- Meu 6º marido era Funcionário Público. Ele dizia que compreendia perfeitamente como era, mas que não tinha a certeza se era da competência dele.

- Meu 7º marido era Técnico de Informática. Ele dizia que, se estava funcionando, era melhor ele não mexer.

- Meu 8º marido era Analista de Suporte. Depois de dar uma olhada, ele disse que as peças estavam todas perfeitas, mas que não sabia porque o sistema não funcionava.

- Por isso, agora estou casando com um advogado.

- Por que?

- Porque tenho certeza de que você vai me foder!  

Separação 
 Um amigo encontra um ex-colega de trabalho:

- Me separei da minha mulher e já fizemos a divisão dos bens.

O colega pergunta:

- E os filhos?

O outro responde:

- O juiz, sabiamente, decidiu que ficariam com aquele que mais bens recebeu ao final do processo. Hoje meus dois filhos estão vivendo com o advogado.

 Dê Seu Título!!

sábado, 8 de outubro de 2011

depoimentos variados

A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina. Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás pra frente. Nós deveríamos morrer primeiro, nos livrar logo disso.

Daí viver num asilo, até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo. Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar. Então você trabalha 40 anos até ficar novo o bastante pra poder aproveitar sua aposentadoria. Aí você curte tudo, bebe bastante álcool, faz festas e se prepara para a faculdade.

Você vai para colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade, se torna um bebezinho de colo, volta pro útero da mãe, passa seus últimos nove meses de vida flutuando. E termina tudo com um ótimo orgasmo! Não seria perfeito?


 Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo, já perdi um AMOR por escondê-lo.
Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos.
Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso.
Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos.
Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem.
Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que me amaram.
Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou, já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir.
Já menti e me arrependi depois, já falei a verdade e também me arrependi.
Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta em meu canto.
Já sorri chorando lágrimas de tristeza, já chorei de tanto rir.
Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, já deixei de acreditar nas que realmente valiam.
Já tive crises de riso quando não podia.
Já quebrei pratos, copos e vasos, de raiva.
Já senti muita falta de alguém, mas nunca lhe disse.
Já gritei quando deveria calar, já calei quando deveria gritar.
Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que não pensava para magoar outros.
Já fingi ser o que não sou para agradar uns, já fingi ser o que não sou para desagradar outros.
Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz.
Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava.
Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade... Já tive medo do escuro, hoje no escuro "me acho, me agacho, fico ali".
Já cai inúmeras vezes achando que não iria me reerguer, já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais.
Já liguei para quem não queria apenas para não ligar para quem realmente queria.
Já corri atrás de um carro, por ele levar embora, quem eu amava.
Já chamei pela mamãe no meio da noite fugindo de um pesadelo. Mas ela não apareceu e foi um pesadelo maior ainda.
Já chamei pessoas próximas de "amigo" e descobri que não eram... Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim.
Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração!
Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!
Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão.
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE!
Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes.
Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
Você pode até me empurrar de um penhasco q eu vou dizer:
- E daí? EU ADORO VOAR!

 Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata....
Um dia descobrimos que beijar uma pessoa para esquecer outra, é bobagem.Você não só não esquece a outra pessoa como pensa muito mais nela...
Um dia descobrimos que se apaixonar é inevitável...
Um dia percebemos que as melhores provas de amor são as mais simples...
Um dia percebemos que o comum não nos atrai...
Um dia saberemos que ser classificado como o "bonzinho" não é bom . .
Um dia perceberemos que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em você...
Um dia percebemos que somos muito importante para alguém, mas não damos valor a isso...
Um dia percebemos como aquele amigo faz falta, mas ai já é tarde demais...
Enfim...
Um dia descobrimos que apesar de viver quase um século esse tempo todo não é suficiente para realizarmos todos os nossos sonhos, para dizer tudo o que tem que ser dito...
O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou lutar para realizar todas as nossas loucuras...
Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação

 Eu gosto do impossível, tenho medo do provável, dou risada do ridículo e choro porque tenho vontade, mas nem sempre tenho motivo.
Tenho um sorriso confiante que as vezes não demonstra o tanto de insegurança por trás dele.
Sou inconstante e talvez imprevisível.
Não gosto de rotina. Eu amo de verdade aqueles pra quem eu digo isso, e me irrito de forma inexplicável quando não botam fé nas minhas palavras.
Nem sempre coloco em prática aquilo que eu julgo certo.
São poucas as pessoas pra quem eu me explico...

 Preciso de Alguém

Que me olhe nos olhos quando falo.

Que ouça as minhas tristezas e neuroses com paciência.
E, ainda que não compreenda, respeite os meus sentimentos.
Preciso de alguém, que venha brigar ao meu lado sem precisar ser convocado;
alguém Amigo o suficiente para dizer-me as verdades que não quero ouvir,
mesmo sabendo que posso odiá-lo por isso.

Nesse mundo de céticos, preciso de alguém que creia,

nessa coisa misteriosa, desacreditada, quase impossível: A Amizade.
Que teime em ser leal, simples e justo, que não vá embora se algum dia eu
perder o meu ouro e não for mais a sensação da festa.
Preciso de um Amigo que receba com gratidão o meu auxílio, a minha mão estendida.
Mesmo que isto seja muito pouco para suas necessidades.

Preciso de um Amigo que também seja companheiro, nas farras e pescarias,

nas guerras e alegrias, e que no meio da tempestade, grite em coro comigo:
'Nós ainda vamos rir muito disso tudo', e ria muito.
Não pude escolher aqueles que me trouxeram ao mundo, mas posso escolher meu Amigo.
E nessa busca empenho a minha própria alma, pois com uma Amizade Verdadeira,
a vida se torna mais simples, mais rica e mais bela.

 Desejo

Desejo primeiro que você ame,

E que amando, também seja amado.
E que se não for, seja breve em esquecer.
E que esquecendo, não guarde mágoa.

Desejo, pois, que não seja assim

Mas se for, saiba ser sem se desesperar
Desejo também que tenha amigos
Que mesmo maus e inconseqüentes
Sejam corajosos e fiéis
E que pelo menos em um deles
Você possa confiar sem duvidar

E porque a vida é assim

Desejo ainda que você tenha inimigos
Nem muitos, nem poucos
Mas na medida exata para que
Algumas vezes você se interpele
A respeito de suas próprias certezas.
E que entre eles
Haja pelo menos um que seja justo

Desejo depois, que você seja útil

Mas não insubstituível
E que nos maus momentos
Quando não restar mais nada
Essa utilidade seja suficiente
Para manter você de pé.

Desejo ainda que você seja tolerante

Não com os que erram pouco
Porque isso é fácil
Mas com os que erram muito e irremediavelmente
E que fazendo bom uso dessa tolerância
Você sirva de exemplo aos outros

Desejo que você, sendo jovem,

Não amadureça depressa demais
E que sendo maduro
Não insista em rejuvenescer
E que sendo velho
Não se dedique ao desespero
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor

Desejo, por sinal, que você seja triste

Não o ano todo, mas apenas um dia
Mas que nesse dia
Descubra que o riso diário é bom
O riso habitual é insosso
E o riso constante é insano.

Desejo que você descubra

Com o máximo de urgência
Acima e a respeito de tudo
Que existem oprimidos, injustiçados e infelizes
E que estão bem à sua volta
Desejo ainda
Que você afague um gato, alimente um cuco
E ouça o joão-de-barro
Erguer triunfante o seu canto matinal
Porque assim, você se sentirá bem por nada

Desejo também

Que você plante uma semente, por menor que seja
E acompanhe o seu crescimento
Para que você saiba
De quantas muitas vidas é feita uma árvore

Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro

Porque é preciso ser prático
E que pelo menos uma vez por ano
Coloque um pouco dele na sua frente e diga:
"Isso é meu"
Só para que fique bem claro
Quem é o dono de quem

Desejo também

Que nenhum de seus afetos morra
Por eles e por você
Mas que se morrer
Você possa chorar sem se lamentar
E sofrer sem se culpar

Desejo por fim

Que você sendo homem, tenha uma boa mulher
E que sendo mulher, tenha um bom homem
Que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes
E quando estiverem exaustos e sorridentes
Ainda haja amor pra recomeçar

E se tudo isso acontecer

Não tenho mais nada a lhe desejar